Translate this Page
ONLINE
2




Noções Bíblicas sobre Dinheiro

Dinheiro

''Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores.''

1Tm 6:10

 

Algumas pessoas pensam no dinheiro apenas como algo terreno e que não pode ser tratado em uma ótica espiritual. Acredito ser essa uma visão equivocada, pois a Bíblia Sagrada em diversas passagens trata do dinheiro. Não considero que o dinheiro em si seja pecaminoso, mas o amor a ele. Uma boa exegese de 1Tm 6:10 deixa isso bem claro. Observe que lá diz ''o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males'' e não ''o dinheiro é a raiz de todos os males''. E para não amar o dinheiro é necessário enxergá-lo como um assunto espiritual e seguir alguns preceitos bíblicos. Se você quer permanecer de baixo da vontade de Deus, tem que mudar sua visão e aprender a usar ele corretamente.

 

Algumas pessoas possuem carros lindos e potentes, todavia as vezes não conseguem controlá-los causando até acidentes. Da mesma forma muitos não conseguem controlar o dinheiro. Em vez de dominarem o dinheiro, são dominados por ele. Quando o dinheiro nos domina passa a ser a prioridade absoluta em nossas vidas. Com isso o tempo para ir a igreja acaba, o tempo para orar é reduzido ao máximo e da Bíblia Sagrada passamos longe. As nossas vidas espirituais decaem. Nossos familiares e amigos também sentem nossa falta. O dinheiro passa ser o nosso único companheiro. Muitas vezes a pessoa nem percebe que está assim. Em Lucas 12:31 Cristo diz que a busca do Reino de Deus tem que ser prioridade em nossas vidas. Com o Reino de Deus no topo das prioridades, o dinheiro passa a ser servo e se transforma em um instrumento de bênçãos para nossas vidas e para os outros. Jamais quebraremos princípios para ganhar dinheiro quando não somos dominados por ele, já quando somos vale tudo para se ter mais.

 

Recentemente em entrevista ao SBT, o bispo Edir Macedo ao ser questionado sobre a teologia da prosperidade disse ser ela a teologia de Deus e a teologia da miséria é que ser a teologia do Diabo. Acontece que não precisamos seguir nenhuma das duas. A teologia da prosperidade é herética, pois muda o foco do cristão das mansões celestiais para o enriquecimento aqui na Terra. A teologia da miséria também é equivocada. Ser miserável não é uma virtude em si, mas sim um problema social a ser resolvido. Felizmente nos sobra uma terceira alternativa: a teologia do trabalho. O Apóstolo Paulo em 2Ts 3:10 recomenda que aquele que não quiser trabalhar também não coma. Em Ef 4:28 ele diz que aquele que roubava não roube mais, antes trabalhe para ajudar os que estiverem em necessidade. Podemos e devemos estudar e trabalhar para ter uma vida melhor, desde que de forma moderada. Esse é o ensinamento bíblico. Se por acaso trabalhando honestamente enriquecermos, ótimo. Mas esse não é o objetivo prioritário do cristão.

 

Alguns cristãos pensam ser a questão ter ou não o dinheiro o mais importante. Será que é mesmo? Acredito que a questão fundamental é qual o motivo que queremos ter dinheiro. Posso querer ter dinheiro para gastar no pecado em festanças e enaltecimento da minha vaidade. Posso querer dinheiro para objetivos pessoais como pagar contas e ter um carro melhor (esses são objetivos válidos).  Agora, além disso, posso querer ter dinheiro para uma causa maior chamada: generosidade. Alguém que quer o dinheiro para ajudar os necessitados e ajudar causas ligadas ao Reino de Deus é alguém que entendeu a verdadeira função do dinheiro. Provérbios 11:25 deixa claro que aquele que é generoso prosperará e provérbios 11:24 diz que ''há quem dê generosamente, e vê aumentar suas riquezas; outros retêm o que deveriam dar e caem na pobreza''. Aprendamos a cada dia a fazer bom uso do dinheiro.

 

Curta nossa página e acompanhe nossas publicações:

Ministério Jovens Pregadores

 

Conteúdo Relacionado

Entrevista com Vantuir Santos