Translate this Page
ONLINE
3




Do Pecado, Da Justiça e Do Juízo

'' Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo.'' Jo 16:8

 

O Espírito Santo é a terceira pessoa da Trindade. Ele é Deus. Ao contrário do que dizem muitas seitas não é uma ''força ativa'', mas possui pessoalidade e emoções (Ef 4:30), ainda que não na mesma forma que o ser humano possui. Atualmente ocupa na Terra a função que Jesus deixou depois da ascensão.

 

Ele é o Consolador que Jesus prometeu que rogaria ao Pai para nos enviar (Jo 16:7). Ele habita na vida de cada cristão sincero. Sua importância para nossas vidas é imensurável. Ele possui diversas funções e dentre elas a de convencer as pessoas do pecado, da justiça e do juízo.

 

Do pecado porque ele revela ao mundo que o pior de todos os erros é rejeitar a Cristo. Sem Cristo não há oportunidade de salvação e nem esperança verdadeira. Da justiça porque somos pecadores e não há justiça real em nós. Se tornamos justos depois que o Espírito Santo aplica a justiça de Cristo em nos (Rm 4:25). Do juízo porque Cristo recebeu em nosso lugar o juízo devido e assim venceu a Satanás (1Jo 5:4).

 

É importante destacar que a Bíblia Sagrada deixa claro que quem opera esse convencimento é o Espírito Santo. Ele é o agente ativo. Somos apenas instrumentos que proclamamos a verdade do evangelho, mas sem poder de convencimento. Isso não quer dizer que não devemos nos preparar para o evangelismo com estudo e oração, isso quer dizer que não devemos colocar a nossa confiança somente nos nossos argumentos.

 

Além disso, confiar no poder do Espírito Santo nos ensina a respeitar aquele que não quiser ouvir a mensagem do evangelho. Não adianta tentarmos convencer o pecador a força com ofensas ou ameaças. Se o Espírito Santo não convencê-lo não seremos nos que convenceremos. Nessas horas o nosso maior evangelismo é a nossa oração. Mas cuidado para não usar isso como desculpa para desistir rápido das pessoas. As vezes é realmente necessário um pouco de perseverança.

 

Outro ensino que retiramos da confiança no poder do Espírito Santo é que tudo é para glória de Deus e somente de Deus. Se não somos nos que convencemos então não temos nada para nos gloriar. Ai daquele que se gloria por pregar o evangelho, que acha que tem algum mérito por fazer aquilo que é sua obrigação como cristão (Mc 16:15). Em 1 Co. 15:33 Paulo deixa claro que o que quer façamos, devemos fazer tudo visando a glória de Deus.

 

Portanto, para o evangelismo, para a pregação, para o ensino e para o aconselhamento aprimoremos nossos argumentos com leitura, pesquisa, oração e treino. Mas acima de tudo confiemos no poder do Espírito Santo para transformação do indivíduo.  Em nos mesmos não temos qualquer chance para restaurar a natureza humana caída e depravada. É o Espírito Santo que tem poder para convencer até o mais duro dos corações.

 

Curta nossa página e acompanhe nossas publicações:

Ministério Jovens Pregadores

 

Conteúdo Relacionado

De Volta ao Debate