Translate this Page
ONLINE
1




Divórcio e Novo Casamento

Divórcio

Respostas de perguntas enviadas pelo locutor Cláudio Martins sobre divórcio.

 

Graça e paz Cláudio Martins 

 

Existem três teorias a respeito do divórcio e novo casamento: 1- Indissolúvel Absolutamente 2- Indissolúvel com Exceções (Adultério e Abandono) 3- Separação Permitida por Qualquer Motivo. A primeira teoria é a teoria mais ''conservadora'', a segunda a mais aceita entre teólogos e igrejas hoje em dia e a última é usada pelas igrejas mais ''liberais''.

 

Respeito todos os pontos de vista sobre o assunto tratado, mas a segunda teoria é a que encontra respaldo bíblico como veremos a seguir. A primeira teoria é errada pois é baseada em versículos bíblicos isolados e conceitos humanos. A terceira está errada pois é libertina e não obedece os princípios bíblicos sobre o assunto.

 

Os defensores da primeira teoria pegam o princípio de Mateus de 19-5 e o colocam como uma regra absoluta, o que é totalmente errado.

 

''e que disse: Por esta causa deixará o homem pai e mãe e se unirá a sua mulher, tornando-se os dois uma só carne.'' Mt 19-5

 

Jesus estava respondendo aos fariseus a questão do divórcio e relatou esse princípio que já estava em Gênesis 2-24. Esse era o plano original de Deus para o ser-humano que os dois ficassem juntos e felizes até a morte. Deus chega a dizer que a chega a dizer que abomina o divórcio pois ele contraria seu plano original (Ml 2-16). Entretanto como o pecado entrou no mundo e o ser-humano deixou de perfeito, ele abriu algumas exceções. O texto acima em nenhum momento diz que é uma regra absoluta mas um princípio que dependendo da situação pode haver exceções:

 

''Eu porém vos digo: quem repudiar sua mulher, não sendo por causa de relações sexuais ilícitas, e casar com outra comete adultério [e o que casar com a repudiada comete adultério'' Mt 19-9

 

 

Os defensores da primeira teoria dizem que esse versículo fala apenas da separação e não do segundo casamento. Mas qualquer pessoa com um mínimo de honestidade intelectual percebe que ele está tratando os dois ao mesmo tempo. Ela fala separa-se e casar com outra. No caso ele diz que se por causa de adultério não é pecado. Alguns ainda insistem dizendo que ele falava de noivado por causa da palavra grega que é usada no texto original, que é mais destinada supostamente a prostituição e não adultério. Acontece que o contexto imediato do texto fala de casamento e não noivado.

 

Podemos encontrar outra exceção em 1 Co. 7-15:

 

''Mas, se o descrente quiser aparta-se, que se aparte; em tais casos, não fica sujeito à servidão nem o irmão, nem a irmã; Deus vos tem chamado a paz''

 

''Servidão'' seria o julgo de estar tentando obrigar uma pessoa ficar com você sendo que ela não quer mais. Ou também ela ir embora e você ser obrigado a ficar o resto da vida só. Quando a outra pessoa é descrente e assim não segue os princípios bíblicos você pode deixar ela ir embora. Você estaria agora livre para casar de novo pois não estaria mais debaixo de ''servidão''.

 

Vamos agora para a ''última cartada'' dos defensores da primeira teoria que é Rm 7- 2:

 

''Ora, a mulher casada está ligada pela lei ao marido, enquanto ele vive, mas, se o mesmo morrer, desobrigada ficará da lei conjugal''

 

Primeiro que nesse texto ele nem está falando de casamento. Foi apenas uma analogia que Paulo usou pra demonstrar que através de Cristo estamos livres da Lei. Esse texto não exclui ás exceções de adultério e abandono. Ele apenas confirma a regra e a regra é ficarem ligados até a morte. Em nenhum momento esse texto está falseando as exceções. Lucas 16-18 também apenas confirma a regra sem excluir as exceções.

 

A Bíblia Sagrada é um livro de regras e exceções. Matar é pecado em regra mas no contexto de guerra não é, Davi matava pessoas na guerra para defender Israel sem pecar contra Deus. Suicídio é pecado em regra, mas em exceção Sansão se matou para libertar Israel sem pecar contra Deus. Da mesma forma divórcio é pecado, mas em caso de adultério e abandono da parte descrente não é.

 

Como além de Teologia também estudo Direito não tenho dificuldade para entender isso. Pois no Direito aprendemos que muitas leis possuem exceções. Infelizmente nem todos conseguem entender isso. Levam tudo na base do ''8 ou 80'', de um extremo ao outro.

 

A terceira teoria diz que podemos se separar por qualquer motivo, pois muitas vezes o casal se uniu por sua própria vontade e não foi Deus quem uniu. Acontece que o que o homem liga na Terra Deus liga no céu (Mt 18-20). Mesmo se não era da vontade dele, quando houve o casamento Deus reconheceu o casamento e respeitou a vontade humana.

 

Espero ter ajudado.

 

Em Cristo, Lucas.

 

Envie também sua pergunta clicando aqui.

Curta nossa página Reflexões do Pregador Lucas Moraes

Curta nossa página JP- Jovens Pregadores

 

 

Conteúdo Relacionado

Debate - O Crente e o Divórcio