Translate this Page
ONLINE
2




Como Anda a Sua Evangelização?

O teólogo assembleiano Claudionor de Andrade faz uma distinção entre evangelismo e evangelização. Segundo ele evangelismo trata dos evangelhos que relatam a vida e a obra do Senhor Jesus. É onde também se encontram exarados ensinamentos fundamentais para as nossas vidas como amor ao próximo, humildade, fé, perseverança, santidade e outros.

 

Já a evangelização para ele seria o ato prático da proclamação de verdades existentes no evangelho. É o anúncio de um Cristo que salva e resgata o ser humano do pecado e da condenação eterna. Para nosso caso, a maioria dos leitores desse site são pentecostais, cremos que além disso também cura, liberta e transforma. É uma visão mais integral do evangelho (favor não confundir isso com teologia da prosperidade).

 

Evangelizar é uma obrigação de todo cristão (Mc 16:15). Não é algo restrito a pastores, missionários e evangelistas como alguns acreditam. Aquele que realmente é seguidor de Cristo não conseguirá saber que existem tantas pessoas caminhando para a condenação, incluindo amigos e familiares, e não sentir no fundo do coração o desejo de falar sobre Cristo para elas. O problema é que o ser humano é um ser que facilmente se acomoda. A correria do cotidiano, os problemas e o entretenimento (jogos, namoro, Netflix, cinema e outros) acabam tirando nosso foco e acabamos sempre deixando a evangelização para outro dia.

 

Outros também têm o problema da falta de humildade. Muitos sentem profunda vergonha em serem vistos evangelizando ou de falar de Deus para um amigo. Têm medo do que os outros vão pensar. Conversam sobre futebol, política, namoro e tantos outros assuntos, mas Deus é como se fosse um assunto de outro mundo. Mas quem é humilde não tem medo de ''passar vergonha'' por Cristo. Ele sabe que Cristo passou coisas muito piores por amor a ele. Quem vive a sua vida somente em prol do que os outros vão pensar não terá sucesso no Reino de Deus.

 

Paulo conseguiu ser depois de Cristo o maior evangelista da historia porque não estava preocupado com que os outros iam achar. Quando se convertou muitos consideravam que ele era um infiltrado na igreja querendo destruir a fé cristã, mas mesmo assim ele continuou seu trabalho. Quando começou a pregar para os gentios muitos diziam que ela era um herege, mas ele continuou pregando porque tinha convicção do seu chamado. Quando usava seu título de apóstolo muitos questionavam a autenticidade do título porque ele não fez parte dos 12 apóstolos, mas ele continuava seu trabalho e respondia que era apóstolo porque seu milagres e sua conduta comprovavam isso.

 

E você? Como anda a sua evangelização? Você tem falado de Cristo para seus amigos e familiares? Tem ido na evangelização coletiva da sua igreja? Tem de alguma forma falado do evangelho para as pessoas? Lembre-se que evangelizar vai desde visitar um presídio ou um hospital até visitar aquela irmã que está com um filho desviado ou até mesmo com postagens no Facebook (embora essa do Facebook sozinha não seja suficiente). Ás vezes até cortando o cabelo você pode aproveitar para puxar assunto com o cabeleireiro sobre algum tema e colocar Cristo no meio. Não há desculpa. Aproveitemos as oportunidades e preguemos o evangelho.

 

Curta nossa página e acompanhe nossas publicações:

Ministério Jovens Pregadores

 

Conteúdo Relacionado

Depravação Total