Translate this Page
ONLINE
2




Aborto é Afronta a Dignidade Humana

Sabe aqueles argumentos abortistas que você já ouviu? Aqueles que dizem que a mulher tem direito sobre o seu próprio corpo, que a mulher rica aborta fora do país e a pobre morre, que os abortos não pararão de ocorrer e outros? Pois é jogue-os na lata de lixo.

 

Primeiro o feto não é prolongamento do corpo da mulher. Embora ele seja dependente da mulher para a nutrição ele é um ser distinto que não se confunde com a mulher. Segundo qualquer crime no Brasil o rico tende a escapar e o pobre a ser punido e nem por isso legalizamos os demais crimes.

 

Além disso, a criminalização do aborto, como a criminalização de qualquer outra conduta, não visa erradicar a prática do aborto, mas sim controlá-la. O aborto é uma afronta a dignidade humana, pois até hoje não se comprovou longe de qualquer dúvida razoável que o feto não é uma vida.

 

Por isso, a recente decisão da turma do STF que considerou legal a prática do aborto até o terceiro mês de gravidez é vergonhosa. A decisão abre precedente para que juízes do Brasil inteiro também considerem legal a prática do aborto mesmo que a prática seja proibida pelo artigo 124 do Código Penal.

 

Qualquer estudante de Direito de primeiro semestre sabe que a função do STF é julgar e não legislar como eles têm feito. Cabe a nos orarmos pelo nosso país, manifestarmos pacificamente contra essa usurpação de função e conscientizarmos os nossos amigos e familiares de quanto o aborto é errado.

 

Curta nossa página e acompanhe nossas publicações:

Ministério Jovens Pregadores

 

Conteúdo Relacionado

O Jovem e a Universidade