Translate this Page
ONLINE
1




6 Lições Políticas Fundamentais Para Cristãos

Um dos assuntos que mais eu tenho me dedicado a estudar nos últimos anos é o relacionamento do cristão com a política. É um tema que ainda necessita de muita reflexão no meio evangélico. Embora seja cada vez mais comum ver cristãos se candidatando a cargos públicos eletivos, até pastores, não há ainda um entendimento claro sobre o assunto no meio cristão.

 

Pensando nisso eu preparei seis lições que considero fundamentais para que você tenha pelo menos um mínimo de entendimento correto sobre a política sem cair em mentiras e equívocos imperdoáveis. Confira:

 

1- Política não é coisa do demônio, mas uma saída pacífica para solução de conflitos e problemas: alguns irmãos por verem tantos escândalos de corrupção na política acabam demonizando ela. A política nada mais é do que a arte da negociação de interesses. Com ela diferentes pessoas com diferentes ideias chegam a um consenso através do debate democrático. A alternativa a ela é a lei do mais forte onde quem tem mais poder impõe sua vontade sobre o mais fraco de forma autoritária. É verdade que no Brasil a política é muito corrupta e ineficiente em comparação com outros países, mas a nossa luta deve ser para melhorá-la e não demonizá-la ou ignorá-la.

 

2- Política não é só cargo eletivo e não é feita só em época de eleição: isso é apenas uma parte da política. A política está muito ligada a cultura. Você influenciando a cultura com a cosmovisão cristã você está fazendo política. Se faz política na igreja, na escola, na família, na faculdade, no trabalho, na comunidade e em todas as camadas da sociedade. A política segue aquilo que a sociedade quer e a sociedade segue a cultura que a orienta. Imagine um político islâmico que quisesse aprovar uma lei dando direito aos homens de baterem em suas esposas. Aqui no Brasil ele seria rejeitado e esculachado, pois nossa cultura desaprova isso. Mas se ele tentasse aprovar essa mesma lei em um país de cultura islâmica seria aplaudido. Portanto, comece a fazer a política primeiro convencendo seus amigos, irmãos de fé e familiares.

 

3- Cuidado com a linha de pensamento ou partido que escolhe: cada pessoa é livre para votar em quem quiser ou seguir a linha de pensamento que quiser, mas temos que ser coerentes com a cosmovisão que acreditamos. Imagine que você conhece um judeu e você descobre que esse judeu  é nazista e um grande admirador de Hitler. Se esse judeu existisse você ficaria no mínimo espantado com a incoerência dele não é verdade? Da mesma forma desse judeu muitos cristãos seguem partidos e ideologias que apoiam aborto, ideologia de gênero, cerceamento da liberdade religiosa em público, ditaduras anticristãs e outros, ou seja, que são totalmente contra a cosmovisão cristã. Independente da desculpa que esses cristãos possam dar isso é um grande perigo e incoerência.

 

4- Cuidado para não constituir ídolos: apenas Jesus Cristo é perfeito e apenas ele no seu Reino que será implantado materialmente na Terra no futuro conseguirá resolver todos os problemas do mundo. Até lá não é pecado você admirar certo político ou seguir certa linha de pensamento (liberalismo, conservadorismo, centrismo, republicanismo, monarquismo e outras) com a finalidade de atenuar os problemas, mas não coloque todas as suas esperanças nessas coisas. Não exagere. Saiba que sua ideologia ou político também cometem erros e que sua confiança maior tem que estar no Senhor Jesus. Isso evitará que você sofra decepções no futuro.

 

5- Estude bastante: não siga determinada ideia só porque seu professor falou que ela é certa, ou porque você a assistiu no programa da Fátima Bernardes e ainda porque você viu na internet uma postagem defendendo ela. Estude, pesquise e se aprofunde. Leia bons livros. Eu recomendo dois para você: O Mínimo Que Você Precisa Saber Para Não Ser Um Idiota e O Guia Politicamento Incorreto da Historia. São livros interessantes e de fácil entendimento. Quando mais conhecimento você tiver menos manipulado você será. Não tenha pressa para ter opiniões e quando não tiver certeza sobre algo não tenha vergonha de dizer que ainda está estudando sobre aquilo.

 

6- Seja firme, mas não extremista: você tem todo o direito de expor suas opiniões de forma firme e clara, mas precisa também ouvir a opinião dos outros por mais equivocada e/ou desonesta que ela pareça ser. Ser democrático com quem concorda com a gente é fácil. Nosso respeito pela democracia é provado quando temos que ouvir quem discorda da gente. Por isso, não tenha vergonha e nem de medo de expor sua opinião, mas não chegue ao extremo de ter ódio mortal dos seus opositores ou de nem mesmo escutá-los. Ao longo da historia vimos que extremismo só leva a conflitos e morte.

 

Obs: ás vezes falar a verdade pode parecer extremismo e ofensa (exemplo chamar um político corrupto de corrupto e dizer que ele merece ir para a cadeia), porém não é disso que estou tratando. A verdade precisa ser dita mesmo quando parece ser ofensiva e/ou extremista.

 

Espero que essas lições tenham te ajudado e que você tenha aprendido bastante. Jesus quer que sejamos sal e luz também na política.

 

Curta nossa página e acompanhe nossas publicações:

Ministério Jovens Pregadores

 

Conteúdo Relacionado

Oremos Pelo Brasil!